O hábito da leitura de livros, revistas e jornais aumenta e desenvolve nosso conhecimento da vida, melhora nossa escrita, nos torna pessoas melhores, mais antenadas na vida e no que acontece ao nosso redor. Além de melhorar nossa escrita, nosso senso crítico e nossa visão de mundo. De todos os impressos, o livro é uma forma importante e gratificante de lazer, para quem o curte e viaja em suas páginas. Suas histórias entram pelos nossos olhos diretamente em nossa mente, “ouvimos” os relatos pelas palavras silenciosas e significativas. Nossas crianças precisam desenvolver este hábito por prazer e não por obrigação. Muitas escolas, ainda impõem a elas a leitura dos clássicos, que nunca deixaram de ter sua importância histórica e respeito. Mas, nossos leitores novatos têm que lerem o que gostam, que aguçam suas curiosidades e que lhe darão prazer e continuidade neste passatempo valioso. A leitura para ser significativa e apreciada tem que ser escolhida e não obrigatória, se assim for se torna estudo. O livro vem ao longo das décadas perdendo espaço para as mídias digitais, a internet e a tv por assinatura, que seduzem muito mais as pessoas e nossas crianças.
Já foi o tempo em que a leitura era a única forma de apreciarmos contos, casos, romances, novelas etc. O Brasil está em pleno desenvolvimento e necessita de pessoas que leem e com isto aumentem a intelectualidade da nação. O problema é que em nosso país o livro é tratado como produto de luxo, dificultando a aquisição para a maioria da população, tornando- se acessível para uma pequena parcela. A maioria de nossos compatriotas entre a opção da leitura e da alimentação, sempre terão que optar pela comida. Nosso governo deve incentivar a leitura do nosso povo e reduzir o preço dos livros, até mesmo criando subsídios, pois todos ganharão e seremos vistos e respeitados por outras nações como um povo culto. Agora temos também o formato digital do livro, o que de certa forma é ecologicamente correto, pois não há o uso do papel. Esta forma nova de livro não trouxe a diminuição do preço das obras escritas, o que teria que ter acontecido. Nossa carga tributária é alta. Talvez a dificuldade de o livro chegar a todos, tenha algum interesse obscuro dos poderosos deste país, tornando o povo mais fácil de ser manipulado. Afinal, não são todos que pensam que o hábito da leitura nos torna pessoas melhores, mais antenadas na vida e no que acontece ao nosso redor, mais críticos e sabedores das coisas que nos influenciam e influenciarão.

Deixe seu comentário