Nas cidades é onde vivemos a nossa cidadania em sua plenitude. Os políticos, como o prefeito, vice e vereadores, ali residem e vivem junto a nós, seus eleitores e dependentes deles para que possamos viver a cidade e nela viver. É necessário usufruir a cidadania com consciência, urbanidade e civilidade. Temos a obrigação de zelar e conservar seu patrimônio público, a limpeza das ruas, parques e outros espaços públicos. Na nossa cidade trabalhamos (alguns moradores, não), estudamos, fazemos nossas compras e curtimos o lazer que ela nos proporciona. Nossos filhos ali nascem e crescem e vão se formando cidadãos com aquilo que a cidade lhes proporciona: trabalho, estudo, lazer, etc. Alguns moradores se tornam voluntários de causas nobres e sociais e a tornam um lugar mais humanitário, seja na ajuda a pessoas necessitadas, na defesa dos animais abandonados ou outros trabalhos sociais.
O entorno das cidades, na minha opinião, deveria ser incentivado a tornar-se o celeiro econômico, um cinturão produzindo e fornecendo alimentos para os moradores urbanos. Isto, com certeza, iria tornar os produtos mais baratos e as cidades autossuficientes em produtos agropecuários. O prefeito deve oferecer – claro, todos prometem em suas campanhas eleitorais – aos moradores serviços de saúde e educação de qualidade e eficientes, moradias dignas, melhorar os espaços públicos, atrair empresas que empreguem com dignidade a mão de obra disponível, proporcionar acessibilidade em todos os espaços a todos. Enfim, governar para o povo de sua cidade, não apenas ficar nas promessas de campanhas.
Não devemos também esquecer das questões ambientais. O povo deve se conscientizar. É preciso reciclar o lixo produzido, até mesmo com geração de rendas. Numa cidade verde, arborizada, ciclovias devem ser construídas e o transporte público tem que ser oferecido com qualidade e eficiência. O povo deve aplaudir seu prefeito pelas melhorias e criticar o que não traz benefício nenhum, fiscalizar o uso do dinheiro público.
A cidade, ao meu ver, é um organismo vivo, precisa ser estudada, planejada e projetada, buscando um desenvolvimento mais humano com um IDH favorável. Há uns dias atrás, vi uma matéria sobre como o Twitter pode servir à urbanidade, ser usado pelas prefeituras para informar a sua atuação e o que está ocorrendo na cidade. O povo, através dele, pode saber e tomar consciência em tempo real do que está acontecendo. Achei uma ideia interessante, pois pode haver informações das condições do trânsito, por exemplo. Todos os residentes podem acessar de seus computadores ou smartphones, além de aproximar a administração municipal do povo. Não há custos, nem para a prefeitura e nem para os que usarem.

Deixe seu comentário