Meu Deus, durante o dia eu te chamo, mas tu não respondes. Eu te chamo de noite, mas não consigo descansar. Salmos 22.2

Mas eles insistiram com ele para que ficasse, dizendo: – Fique conosco porque já é tarde, e a noite vem chegando. Então Jesus entrou para ficar com os dois.Lucas 24.29
O salmo 22 é tido como o salmo que antecipadamente descreveu o sofrimento do Messias, do Cristo de Deus, na cruz. E, de fato, o salmista antecipou fatos que aconteceram com Jesus em sua crucificação. No salmo, o sofredor clama a Deus de dia e de noite, mas não é ouvido. Está extremamente angustiado e passando por dificuldades enormes. Porém, em meio aos seus lamentos, ele lembra que o Senhor é Deus, é Santo, é justo e relembra que seus antepassados confiaram nele e foram ouvidos. Assim ele, o salmista, também se agarra a esta esperança para manter sua confiança de um livramento. Ele sabe que é pecador e não merece a atenção de Deus. Mas, no final do salmo, ele já está confiante de que irá louvar ao Senhor por causa de sua misericórdia. Sua confiança se mantém e insiste em acreditar que Deus o livrará, apesar dele mesmo e da situação que o envolve.
Sabemos que Jesus passou por uma situação extrema, clamou a Deus desesperadamente, não foi atendido no momento da cruz, pois tinha uma tarefa especial, mas foi ressuscitado ao terceiro dia e hoje vive e reina com o Pai. O Senhor ouve o clamor dos que estão em dificuldades e sofrimentos e, no seu tempo, atende a cada um.
No texto de Lucas, os discípulos convidam Jesus para ficar com eles, à noite, e Jesus aceita, porém logo após celebrar a Ceia com eles, desaparece da presença deles e eles entendem que era o Senhor que estava com eles. Correm para anunciar aos outros discípulos. Ao convidar Jesus para entrar na casa, eles ainda não sabiam que era o Senhor. Estavam maravilhados com aquele homem que tão bem falou. Ele sabia todas as palavras e sua palavra fazia o coração deles arder. Porém, foi na partilha do pão que os olhos deles abriram.
Não bastou conhecer a palavra e retê-la, foi necessário participar da partilha para que Jesus fosse, de fato, revelado a eles. Não conhecemos Jesus com nosso intelecto, mas é necessário que Ele faça parte de nossas atitudes para sabermos quem de fato ele é: Jesus se revela na partilha. Assim, partilhando, participamos do Corpo de Cristo e seremos suas testemunhas onde estivermos.

Thiago Pagung Lauvers– Estudante de Teologia

Deixe seu comentário