As quaresmas da vida revelam momentos difíceis. Momentos de angústia. Momentos de dor. Momentos de incertezas. Foi assim com o Filho de Deus, Jesus Cristo.
A quaresma de Jesus Cristo começa quando Ele desce do monte da transfiguração (Mateus 17.1 – 13). Ao descer do monte, Jesus começa a caminhada em direção a Jerusalém, em direção a cruz.
Diferente de nós, Ele sabe o que lhe aguarda. No seu horizonte está a cruz. Está a morte. O que faz Jesus seguir em direção a esta árdua quaresma e não fugir dela?
Em Mateus 17.5 a voz do Pai diz: “Este é o meu Filho querido, que me dá muita alegria”. Esta mensagem, que Jesus já havia ouvido também no dia do seu Batismo, é a chave para seguir o caminho árduo da quaresma. Jesus confia no Pai. Sabe que não estará sozinho na sua quaresma. Sabe que o Deus Pai não o deixará entregue aos poderes da morte.
O que sustenta e mantém a nós nas quaresmas da vida? Também a você e a mim Deus diz no Batismo: Tu és o meu filho/a querido/a, que me dá muita alegria. “Pelo Batismo participamos da vida, morte e ressurreição de Cristo Jesus por nós. Somos marcados por sua cruz, que é a vitória sobre o nosso fracasso e o ponto de partida para um novo começo” (Nossa Fé – Nossa Vida p.19).
Em Jesus Cristo, Deus nos sustenta e mantém com o seu amor diante das quaresmas da vida. Confiar nesta graça e amor que Deus derrama sobre nossas vidas por intermédio de Jesus Cristo faz com que nas quaresmas da vida não percamos a esperança e a alegria de viver.
Nas quaresmas da vida somos convidados a lembrar e viver o nosso Batismo. Ali a promessa de Jesus é: “E lembrem-se de que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim dos tempos”. (Mateus 28.20)
Em Jesus, a cruz não tem a última palavra. Em Jesus, triunfa a ressurreição. Em Jesus, Deus nos abraça para que os cálices amargos não desestruturem as nossas vidas. Em Jesus, Deus nos abraça para que, mesmo na tristeza e na angústia, que sufocam coração e mente, possamos confiar Nele.
No amor de Deus revelado em Jesus Cristo na cruz e derramado sobre nós no Batismo está a chave para enfrentar, vencer e conviver com as quaresmas da vida.

(Texto do Pastor Elton Pothin)

THIAGO PAGUNG LAUVERS
Estudante de Teologia.

— Avisos:

Cultos com liturgia da Santa Ceia no dia 18 de fevereiro de 2018, a partir das 10h, no ponto de pregação do Santo Antônio e também a partir das 20 horas, no templo da Ressurreição

Deixe seu comentário