Certa lenda conta que, no passado, havia dois tipos de elefantes: os negros e os brancos. Eram respeitados pelos demais animais, com os quais procuravam viver em harmonia. Contudo, entre si, eram odiosos. Os brancos viviam num lado do rio. Os negros, no outro lado. Aconteceu que houve uma estiagem muito grande que fez o rio secar. Os elefantes se aproximaram e começaram a lutar uns com os outros.
Todavia, entre os brancos e os negros, havia elefantes que procuravam a paz. Eles não suportavam mais a guerra. Acabaram fugindo das savanas e foram se esconder na selva. Ninguém os enxergou de novo. A guerra entre negros e brancos durou muito tempo. Ela se tornou tão cruel que dizimou por completo os elefantes das savanas. Estavam extintos. Nem branco, nem negro sobreviveu.
Depois de séculos, num período de intensas chuvas, a floresta encharcou por completo. Em busca de alimento, os descendentes dos elefantes que buscaram a paz saíram da selva. Para a surpresa dos demais animais que os tinham por extintos, somente os conheciam por antigas histórias, agora os elefantes estavam ali, diante dos seus olhos. A surpresa foi ainda maior pelo fato de que “todos” eram cinzentos. Os “novos” elefantes, agora na savana, viviam em paz nos dois lados do rio.
Caros leitores e leitoras, tal lenda me recorda as belas palavras do salmista: Procurem a paz. Orem uns pelos outros (Salmo 122). Se você colocar em prática, seja em casa, ou na vizinhança, ou na igreja, verá o efeito positivo que resulta da pacificação. Busque, por JESUS, um mundo melhor.
Thiago Pagung Lauvers
Estudante de Teologia

Avisos:
– Sexta, dia 27 de abril, as 19h30, Encontro de casais Luteranos.
– Sábado, dia 28 de abril, 14 horas, Ensino Confirmatório 2º ano. 15h30, JEMON. 19 horas, Encontro de Família no Paquete;
– Domingo, dia 29 de abril, às 9h, Culto com celebração da Santa Ceia.

Deixe seu comentário