Shimo era cortador de pedras. Trabalhava pesado, tirando blocos de mármore. Vivia sempre resmungando da lida dura que Deus havia lhe dado. Certo dia, o encarregado, escutando seu lamento, mandou que ele ajudasse o carroceiro a levar uma carga à cidade.
Algumas lajes foram entregues ao mestre de obras, onde a praça estava sendo reformada. Shimo tinha passado inúmeras vezes por aquele local. Todavia, jamais havia reparado que lá estava o fruto do seu trabalho. A praça era bonita e acolhedora graças ao mármore que ele cortou. Mais adiante, um bloco foi entregue no ateliê de um escultor. Shimo ficou surpreso ao ver as belas obras em mármore.
O artista agradeceu pelo excelente material que era colocado em suas mãos, dizendo: Minhas obras são admiradas em palácios reais. Mas, nada disso haveria, se Deus não tivesse criado a rocha e me dado o dom de ser escultor. Também, nada disso haveria se lá na pedreira alguém não suasse para tirar a pedra do chão.
Eis a lição… Existem muitas facetas da vida que são quase imperceptíveis. Todavia, ao parar e refletir, perceberemos um propósito maior em tudo o que há à nossa volta. Perceberemos também a importância de nossos afazeres no mundo. De repente não tenho o dom da arte, mas tenho a força para o trabalho. Eu sempre posso tornar o mundo mais belo. Leve a sério o desafio do Salmo 100: Servi ao Senhor com alegria (v.2).

Thiago PagungLauvers –
Estudante de Teologia

Avisos:
– Quinta, 03.05, às 19h30min, ensaio do coral

– Sexta, 04.05, às 19h30min, encontro de família no bairro Senai, na residência do casal Arsênio e Cacilda Strassburger.

– Sábado, 05.05, às 14h, ensino confirmatório do 1° Ano. Às 19h, culto no centro com Ceia e participação da JEMON.

Deixe seu comentário