Se você mora no Brasil, precisa se acostumar. Não estranhe a carga tributária alta e que não retorna em serviços básicos. Acostume-se com serviços mal prestados, propagandas enganosas e brechas na lei que amparam essas situações esquisitas.

Não perca a cabeça com a carne podre, nem com o frango no papelão. Sorria, você está sendo enganado. E o agrotóxico cancerígeno nas verduras também deve ser encarado com normalidade. Dê um sorriso amarelo e siga caminhando.

A água que chega à sua casa tem coliformes fecais, mas não ligue para isso. O milho na cerveja também não é tão ruim. E o leite? Esse tem soda cáustica, mas também não ouse reclamar. Fique como está.

Acostume-se ao trânsito lotado, pois o dinheiro do metrô que seria construído próximo à sua casa foi desviado. Mas e quando a rua alaga? Qual o problema, a propina foi paga para a empresa que faria o conduto, então tudo está no seu lugar. Sim, a gente sabe que sua rua está esburacada. Acostume-se, pois as demais ruas foram asfaltadas com obras superfaturadas. O que a gente vai fazer?

A 3G não funciona. O juro é abusivo. O banco cobrou duas vezes a fatura e a gasolina não para de subir. Mas a gente não deve reclamar, desde Cabral que as coisas acontecem assim. O botijão de gás vem pela metade e a merenda escolar do seu filho virou dólar em alguma conta da suíça. Deixa isso pra lá, é o jeitinho brasileiro.

O airbag não abre e a bomba de combustível foi fraudada. O medicamento genérico não passou pelo controle de qualidade, mas o médico também não veio trabalhar, apesar de ter falsificado o ponto. Não façam tempestade num copo d’água.

Acostume-se ao machismo, ao racismo e à homofobia. No Brasil a gente é assim mesmo. Não gostamos de pobre, veado e mulher que fica querendo direitos iguais. A gente até propaga essa história de mistura de raças, mas “deusulivre” se minha filha se casar com um negro.

É bom se acostumar com o Mensalão, Petrolão e todos os “ãos” que ainda devem surgir no cenário político. Acostume-se às greves da Polícia e aos saques que ocorrerão durante as paralisações. Não reclame, acostume-se aos que furam filas e forjam atestados médicos. É bom ir se acostumando à Educação deficiente nas escolas públicas, ao posto de saúde sem equipamentos e aos parques depredados.
Acostume-se a nunca reclamar.

Compartilhar

Deixe seu comentário