O aroma convida. O sabor desperta. E os apaixonados por café não conseguem viver sem. Nessa sexta-feira, 14, é festejado o Dia Internacional do Café. Se você já não precisava de mais nenhuma razão para fazer aquela pausa e beber um cafezinho, os benefícios para saúde – desde consumido com moderação – vão deixar esse momento ainda mais agradável.

O principal componente do café é a cafeína. A sua composição, porém, ainda conta com sais minerais, vitaminas do complexo B, aminoácidos, lipídios e açúcares, além dos ácidos clorogênicos, que são polifenóis antioxidantes que combatem o envelhecimento das células. Trata-se de uma bebida de efeito estimulante. Por isso, ela diminui o sono e eleva a energia. Além disso, melhora a concentração, o desempenho nos exercícios físicos e é favorável aos músculos.

Apesar de tudo isso, o ideal é que o consumo não exceda o limite de três xícaras de 50ml ao dia para pessoas saudáveis. Aqueles que são intolerantes à bebida devem manter distância ou consumir com ainda mais moderação. Já as gestantes devem evitar a ingestão de cafeína devido a bebida aumentar as secreções gástricas e o risco de refluxo ser maior, além do café afetar negativamente o feto. Já quem tem dificuldade em dormir deve evitar consumir café no período noturno.

Conheça  alguns dos principais benefícios
Efeito estimulante: a cafeína, quando consumida em doses baixas, tem ação estimulante. Assim, o sono diminui e a energia aumenta;

Melhora a concentração: devido ao seu efeito estimulante, proporciona melhora na concentração e melhor capacidade de aprendizado;

Melhora o desempenho nos exercícios: o café ajuda as pessoas a terem mais pique para praticar exercícios. A bebida irá estimular a ação dos músculos durante exercícios prolongados;

Ajuda a emagrecer: estudos apontoam que o consumo contribui para a perda de peso. Isto ocorre por sua ação termogênica, aumentando o gasto calórico;

Protege o sistema respiratório: o café tem efeito broncodilatador e por isso é bom para quem tem e para prevenir a asma;

Diminui o risco de depressão: é conhecido que doses moderadas de cafeína interferem positivamente no humor. Além disso, o ácido acético, presente em boas quantidades no café, apresenta efeito antidepressivo quando administrado em animais;

Previne Alzheimer: estudos realizados com animais indicaram que o café seria capaz de neutralizar a perda de memória. Pesquisas mais aprofundadas precisam confirmar a relação desse benefício, mas a indicação para prevenção é forte.

Café Mocha
Se o café preto e simples já é saboroso, o que dizer do requinte de algumas receitas? Misturando outros ingredientes o café fica ainda mais delicioso e cheiroso. O mocha é uma das variações mais apreciadas.

O café deve ser montado, preferencialmente em uma xícara alta e transparente que possibilite a visualização das partes e valorize a bebida. No fundo da xícara coloque calda de chocolate. Sobre ela vai leite vaporizado. Na sequência café expressinho. Finalize com canela. Chantilly é opcional para decoração. E, como toque especial, pode ser acrescentado licor de damasco.

Um pouco de história
O café é uma planta originária do continente africano, das regiões altas da Etiópia. Segundo uma das “lendas” da descoberta do cafeeiro, um pastor etíope foi quem percebeu que algumas de suas cabras mudaram seu comportamento após fazer uso de folhas da planta de café em sua alimentação.

Da Etiópia, o café foi levado para a Arábia. Os árabes foram os primeiros a cultivar a planta devido ao seu uso na medicina da época. Da Arábia o café foi levado para o Egito no século XVI e logo depois para Turquia. Na Europa, no século XVII, foi introduzido na Itália, na Inglaterra e, por fim, às Américas. O café tem grande importância a economia brasileira seja no passado, período conhecido como o “Ciclo do Café”, quanto atualmente, já que o país segue como exportador.

Deixe seu comentário