A depilação a laser pode ser feita em qualquer tipo de pele. Fotos: reprodução internet
Fernanda Massena, fisioterapeuta especialista dermatofuncional. Foto: Arquivo Pessoal

A depilação a laser habita os sonhos femininos e, cada vez mais, também os masculinos. E é fácil entender as razões. O método pode acabar com as visitas mensais para retirar os pelos com cera ou com as raspagens quase diárias com lâmina. A praticidade do laser, porém, ainda encontra muitas dúvidas. Esclarecemos as principais com a fisioterapeuta especialista em Dermatofuncional Fernanda Massena, que aplica a técnica.

Qualquer pessoa pode fazer?
Sim. Quanto à tonalidade de pele, atualmente qualquer pessoa pode fazer uso da depilação a laser. No passado, a técnica era aplicada apenas em pessoas de pele clara, já que em peles mais escuras havia grande risco de queimadura. Ocorre que o laser diodo, utilizado na depilação, quando aplicado, é atraído pela melanina. Hoje, porém, os profissionais têm a possibilidade de aplicar uma dosagem maior ou menor, em cada aplicação e, assim, usando conforme a necessidade de qualquer pele. Porém, pessoas com pelo muito claro, não terão o resultado esperado, pela ausência de melanina. Homens que desejam aplicar na barba também só devem fazê-lo se ela não for grisalha.

Quantas sessões é preciso fazer?
Tudo depende do pelo, considerando cor, quantidade e espessura. Em média, são necessárias seis sessões, feitas, cada uma, com aproximadamente 30 dias de intervalo. Isso significa que se o objetivo ao fazer a virilha é curtir as férias de verão, não adianta deixar para o final do ano. O processo levará seis meses para ser concluído.

É definitivo?
A durabilidade pode ser longa, mas não é definitivo. Em geral, após as sessões iniciais e que eliminarão 80% dos pelos, serão necessárias apenas uma ou duas sessões anuais como manutenção. Porém, o surgimento de pelos está vinculado aos hormônios e qualquer alteração, causada, por exemplo, por uma gestação, pode fazer surgir novos pelos.

Dói?
A depilação a laser não é totalmente indolor. O aplicador do laser tem uma ponteira bastante gelada que oferece alívio, mas o paciente sentirá algo similar a leves beliscões. Varia para cada pessoa, mas é considerado tranquilo e suportável.

Grávida pode?
É controverso. Fernanda Massena diz que, apesar de nada indicar que o laser possa fazer qualquer mal a mãe ou bebê, por precaução, a maior parte dos profissionais não aplica em gestantes.

Quanto custa?
O preço do adeus aos pelos vai depender da área e de quantas sessões serão necessárias. Cada sessão custa de R$100,00 a R$600,00 e leva até 30min, dependendo da extensão da área.

Os homens têm procurado, principalmente, para se livrar da barba. Fotos: reprodução internet

Exige cuidado especial?
Sim. Um resultado satisfatório e a certeza de que não haverá queimadura depende da obediência a algumas regras. A área que receberá o laser não pode ter pelo crescido, mas esse tem de ter sido raspado com lâmina. Se tirado com cera não há raiz para o laser agir e, se depilado com creme, é possível gerar queimadura. É indicado, também, evitar tomar sol antes e depois das aplicações e tomar cuidado com o uso de cremes, autobronzeador  e desodorantes. “O sucesso do processo não depende apenas de uma aplicação correta do laser. Respeitar as orientações do profissional que fará a aplicação é importante para evitar uma queimadura”, destaca Fernanda.

Em quais áreas pode usar?
Todas, do corpo e do rosto, respeitando características específicas. Virilha, axila e face são atualmente as áreas mais procuradas. As mulheres buscam mais, porém, a procura tem aumentado entre os homens, principalmente por aqueles que desejam dar adeus ao barbeador.
Fernanda Massena destaca que, no rosto, não é feita sobrancelha devido a proximidade aos olhos e a dificuldade de respeitar o desenho. Também não se utiliza o laser sobre áreas com tatuagem ou cicatriz recente. Casos em que a pessoa teve tumor tardio ou apresenta psoríase dependem de uma autorização médica.

Deixe seu comentário