Foto: reprodução internet
férias, escola, julho, férias de inverno, crianças, lanche, alimentação, brincadeiras
Carlos Alberto Nogueira de Almeida, nutrólogo
Foto: reprodução internet

É julho, mês em que as crianças estão em casa. Finalmente os pequenos podem descansar, brincar e gastar energia, sem hora para levantar nem dever de casa para fazer. Momento para oferecer a elas a nutrição adequada, é claro, mas, também, estimular que eles provem novos sabores e, principalmente, se divirtam. O médico nutrólogo e diretor do Departamento de Nutrologia Pediátrica da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) Carlos Alberto Nogueira de Almeida, lembra que férias não são sinônimo de relaxar completamente da rotina e pede que os pais estimulem os filhos a brincarem cada vez mais ao ar livre.

Nogueira comenta que existem dois perfis de crianças. “Temos aquelas já propensas à obesidade e as que são muito hiperativas e esquecem de comer, pois preferem brincar.” Para o médico nutrólogo, ambos os perfis precisam de muita atenção, principalmente nas férias. “Os pais costumam ser mais permissivos com aquela criança que faz dieta o ano inteiro, e as hiperativas tendem a piorar a sua quantidade de refeições, pois estarão livres para brincar, saindo da rotina. O ideal é encontrar um equilíbrio durante o período”, afirma Nogueira.

Para o diretor do Departamento de Nutrologia Pediátrica da Abran, a permissividade é preocupante e não deve ser um hábito e, sim, uma exceção. “Pedir uma pizza às terças-feiras é algo pouco saudável durante as semanas ‘normais’. Nas férias, é algo que pode acontecer, mas não deve ser pizza às terças, pastel às quartas, e hambúrguer no sábado”, ressalta. Outra dificuldade está na mudança nos hábitos de lazer. “Antigamente existia aquela expectativa em sair na rua e se divertir. Atualmente, quando pergunto em meu consultório, as crianças sempre falam primeiro em ‘zerar’ algum jogo, ou, quando mais velhos, terminar determinada série. Só depois disso lembram de algum esporte”, diz.

A atividade física durante as férias é essencial e pode ser uma oportunidade de a criança se engajar com algum esporte. “O ideal é que a criança já realize, de maneira contínua, algum esporte. Vale lembrar que as férias são uma época onde aumenta o número de lesões e pequenos acidentes durante a prática esportiva, muitas vezes causadas pela falta de preparo físico”, alerta.

Deixe seu comentário