As crianças portadoras de diabetes tipo 1 terão à disposição no Sistema Único de Saúde (SUS) um medicamento mais moderno ao tratamento da doença: a insulina análoga. Em alusão ao Dia das Crianças, comemorado na última quinta-feira, o Ministério da Saúde anunciou investimento de R$ 135 milhões, por ano, na compra do novo insumo. A expectativa é que o medicamento esteja disponível já em 2018. A nova aquisição beneficiará 100 mil crianças com maior dificuldade de controle da doença.

Estudos apontaram que insulina análoga proporciona um melhor controle glicêmico nos sintomas relacionados à hiperglicemia e diminuição das complicações agudas e crônicas decorrentes do diabetes. O produto é de fácil aplicação, sua embalagem é uma caneta, resposta rápida e com doses que podem ser adaptadas a situação do paciente.

O novo tratamento será ofertado, prioritariamente, às crianças e adolescentes, já que o diabetes tipo 1 apresenta o seu pico entre 10 a 14 anos. A demanda representa 10% do total de crianças com diabetes no país, cerca de 1 milhão. Pacientes adultos com este tipo da doença também poderão ter acesso ao medicamento, desde que tenham indicação médica.

Estudos apontam que o tratamento precoce de crianças com diabetes evita dificuldade de aprendizagem, principalmente verbal e de linguagem mais acentuada naquelas que tiveram convulsões por hipoglicemia. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, 440 mil crianças desenvolvem a doença, por ano, no mundo. Dados dos Sistemas de Informação sobre Mortalidade (SIM) e do de Informações Hospitalares (SIH), do Ministério da Saúde, apontam, em média, cerca de 60 mortes de crianças e 8 mil internações por ano por diabetes.

Deixe seu comentário