Com baixo valor calórico, diversas vitaminas e ômega-3, não é preciso se sentir culpado ou culpada ao consumir camarão. Basta escolher uma receita na qual o crustáceo não seja frito ou preparado com excesso de gordura. Isso especialmente porque o seu teor de colesterol já é naturalmente alto.

O camarão é ótima fonte de ômega-3, gordura que previne doenças cardiovasculares, hipertensão e câncer. Sua composição apresenta, em média, 40% de ácidos graxos poli-insaturados e 20% de monoinsaturados. Mas é bom não abusar, mais de 30% de sua gordura é saturada e colesterol.

É rico em vitaminas, como as do complexo B, que atuam no metabolismo; vitamina D e vitamina E, que previne o aparecimento de doenças neurológicas. É fonte de vitamina D. Esta vitamina regula a absorção de cálcio e fósforo, que é essencial para dentes e ossos fortes. Também oferece minerais como cálcio, iodo, potássio e zinco, para ajudar a manter o sistema imunológico sadio e auxiliar na recuperação de lesões.

Os camarões são fonte da chamada “proteína completa”, que fornece todos os componentes básicos necessários para a produção de novas proteínas. Cerca de 100 gramas de camarões cozidos oferecem ao organismo cerca de 100 calorias e mais de 22 gramas de proteína.

Porém, as mesmas 100 gramas contêm mais de 50% do limite diário recomendado de colesterol. Isso não deve impedir o consumo, mas indica um cuidado especial na preparação e que se consuma o crustáceo combinado com acompanhamentos leves.

A abundância de iodo favorece, ainda, o metabolismo, regulando os níveis de energia e bom funcionamento das células. Os alimentos ricos em iodo também ajudam a processar os hidratos de carbono, fortalecer o cabelo, pele e unhas.

Compartilhar

Deixe seu comentário