dor nas costas, postura, tensão muscular, alongamento, saúde
Posturas inadequadas podem gerar dores tensionais

Quem nunca terminou o dia com a sensação de que está com as costas travadas ou achando que carrega muito peso sobre os ombros? São as chamadas dores tensionais, ocasionadas por músculos tensos e contraídos. A fonte dessas dores é variada. Elas podem ser causadas por estresse, falta de descanso, má postura, por carregar uma carga de peso maior que a suportável, manter uma mesma postura – mesmo que correta – por longo período, ou, ainda, ao realizar uma atividade física sem orientação adequada, com exagero de carga ou frequência.

dor nas costas, postura, tensão muscular, alongamento, Aline Führ, fisioterapia
Aline Führ, fisioterapeuta

A fisioterapeuta Aline Führ, especializada em Saúde do Trabalhador, explica que é possível evitar e ou minimizar estas dores por tensões musculares cuidando da postura, adequando o mobiliário de batente às necessidades do trabalhador. Isso se faz por meio de uma análise ergonômica, realizando trocas de postura durante a jornada de trabalho, cuidando para não pegar objetos muito pesados, realizando paradas durante a jornada de trabalho para exercícios metabólicos e alongamentos musculares. Também é importante realizar uma atividade física, evitar o estresse, ter boa noite de descanso e realizar atividades de lazer.

A dor muscular tensional, portanto, pode ser de causa física ou emocional. Há casos em que estes dois fatores, juntos, contribuem para piorar a dor.

“Quando estamos realizando tarefas em má postura teremos como resultado dores musculares de ordem física. Mas quando estamos passando por uma fase de sobrecarga no trabalho, desequilíbrio emocional, estresse ou depressão, estas dores tensionais podem ser causadas ou agravadas pelo nosso estado emocional”, diz Aline.

Prevenção existe e começa pela atividade física bem orientada. Ao realizar uma reeducação postural, policiar-se no trabalho e durante todas as demais atividades para manter uma postura adequada e reduzir sobrecargas e fatores estressantes, se colabora para manter as dores mais distantes. Se nada disso adiantou, o que resta é tratar. Aí entra a fisioterapia.

Não apenas retirar as dores, mas para orientar o paciente. “Podemos realizar fisioterapia para aliviar a dor e orientar o cliente para ter um cuidado com a postura. Passar alongamentos, exercícios e realizar uma reeducação postural”, diz Aline Führ. Massagens e acupuntura também são tratamentos que apresentam bastante eficácia para redução das tensões e para o alívio da dor. Tudo, sempre acompanhado de mudança de hábitos: reduzir a sobrecarga de trabalho, estresse, realizar cuidados com saúde, controle alimentar, adequar as horas de sono, manter uma postura correta e praticar exercícios físicos regularmente são as orientações.

Dores tensionais mais comuns
As dores lombares: também conhecidas como lombalgia, é uma dor que ocorre na parte inferior da coluna vertebral. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% da população irá sofrer de algum episódio de dor na coluna durante a sua vida. A dor lombar pode ser aguda ou crônica.

Quando aguda dura entorno de três a quatro semanas, já a crônica pode durar a vida toda. Entre as causas é possível destacar como má postura, movimentos bruscos, excesso de peso, flacidez da musculatura do abdômen e da coluna lombar. Para evitar as crises de dores na coluna lombar, a orientação é fortalecer a musculatura do abdômen e costas, cuidar da postura e evitar ficar na mesma posição por tempo prolongado.

Dores nos joelhos: podem estar relacionadas com alguma lesão, processo inflamatório, artrite, postura errada, sobrecarga de peso, falta ou excesso de atividade física. Para evitar este tipo de dor, é indicado realizar alongamentos, atividade física orientada e cuidar da postura.

Dores no pescoço: acontecem principalmente devido ao estresse e à má postura durante o uso de computadores, celulares e tablet. Principalmente quando o pescoço e a cabeça ficam posicionados para frente e para baixo, ou quando há uma elevação de ombros. Isto pode provocar dores de pescoço, ombros, dores irradiadas para membros superiores, dores de cabeça e nos músculos da mastigação, além de tonturas e enjôos. É indicado cuidar da postura, realizar alongamentos, diminuir o uso de eletrônicos e verificar se a altura do travesseiro está correta ao dormir.

Dores nas articulações: podem ser desde um desconforto leve, moderado ou forte. E pode ocorrer em uma ou mais articulações do corpo. Essa dor tensional, pode surgir sem movimento muscular e ser grave o suficiente para provocar rigidez. A causa está na postura incorreta ou na falta de atividade física, entre outras. Para evitar este tipo de dor é preciso cuidar da postura, realizar atividade física e não ficar na mesma postura por muito tempo.

Em uma crise de dor, o que fazer?
Mudar hábitos leva tempo e, quando a dor bate, é necessário uma atenção imediata. Nesse caso, é indicado usar a bolsa de água quente para que ocorra um relaxamento muscular e com isto se consiga o alívio da dor. Esta pode ser utilizada de três a quatro vezes ao dia, durante 15 a 20 minutos. A bolsa deve ser enrolada em um tecido fino para que o contato com a pele e a bolsa quente não provoque queimaduras.

Evite dores tensionais:
– Evite dobrar somente as costas para pegar um objeto, dobre o quadril e joelhos;
– Evite levantar objetos pesados mais alto que seus cotovelos;
– Nunca carregue ou mova algo que você não possa segurar com facilidade;
– Evite movimentos repentinos;
– Troque de posição frequentemente;
– Evite exercícios e atividades que giram ou forçam a coluna.

Deixe seu comentário