Inúmeros podem ser os fatores para o surgimento da afta; o importante é investigá-los. Crédito: reprodução intenet

Sabe aquela bolinha incômoda que impossibilita você de comer algo muito salgado ou ácido sem provocar dor? A afta, conhecida cientificamente por estomatite aftosa, é uma lesão que surge em qualquer ponto da boca. Pode ser na língua, lábio, bochecha ou céu da boca, o fato é que ela causa dor e desconforto.
As inflamações costumam ser pequenas e brancas, cercadas por uma área avermelhada, e não são contagiosas. Geralmente, elas desaparecem em 10 dias, mas se ocorrerem de forma frequente, é necessária a investigação sobre os motivos com um médico especialista.
A afta pode, inclusive, ser um indicativo de que algo não vai bem com seu corpo, por isso é importante investigar as possíveis causas, caso apareçam frequentemente.
Além do formato característico, os sintomas da afta podem incluir ardência no local onde se desenvolveram, coceira, vermelhidão e dor.

O que causa
Inúmeros fatores podem levar ao surgimento da afta, acometendo pessoas de diferentes idades. Alimentos cítricos, mordidas na língua, alergia a alimentos, doenças autoimunes e alterações do pH da boca, principalmente pela má digestão, podem ser alguns provocadores. Pessoas com aparelhos ortodônticos também têm tendência a sofrerem com o mal, assim como a deficiência de algumas vitaminas no organismo costuma se manifestar pela afta.
Outros fatores de risco são a ingestão de condimentos na comida, estresse e ansiedade, qualquer distúrbio do sistema imunológico e problemas gastrointestinais.

Prevenção
Como a má higiene bucal pode ser um causadora da afta, além da limpeza adequada, inclusive com enxaguantes bucais, é recomendada a procura de um especialista em caso de problema frequente com as lesões.
Manter alimentação balanceada, que envolva diversos nutrientes necessários ao bom funcionamento do corpo, também é uma boa alternativa para evitar o problema.

Como é tratada
Caso não suma em até duas semanas, e continue causando incômodo, um especialista poderá prescrever pomadas e anti-inflamatórios. Porém, lembre-se que automedicar-se não é recomendado, por isso a importância de buscar ajuda profissional.

Deixe seu comentário