Além de fazer a escolha certa ao comprar pneus, fique atento a cuidados básicos de manutenção. Foto: Divulgação/Cobli

As férias de julho estão aí. É momento em que muita gente vai pegar a estrada para atividades de lazer com a família e, cada vez mais, a preocupação com a segurança é crescente. Neste sentido, o pneu é item que merece atenção não apenas no ato da compra, mas também na manutenção e na preparação para a viagem. Neste ano, a pausa para o descanso tem um agravante: o elevadíssimo preço dos combustíveis. Assim, sempre é bom lembrar que um carro com pneus murchos ou mau estado consome mais.

Medidas como reparos e manutenções preventivas podem ajudar a reduzir os gastos no posto. O que muita gente não sabe é que nem sempre é possível aproveitar toda a energia do combustível, já que há forças que impedem que o veículo se desloque livremente, como a gravidade, a inércia e forças aerodinâmicas. Estas forças não são possíveis de controlar, mas há um tipo de resistência que se pode reduzir: a resistência da rodagem.

“Esse fenômeno pode demandar até 33% do consumo de combustível do automóvel. É oriunda das características e da facilidade de deformação dos pneus, que, por serem feitos a partir de um material viscoelástico, se degradam facilmente ao rodarem nas superfícies de estradas, além de demorarem a voltar ao normal. Em muitos casos, essa deformação é permanente”, explica Edilson Backes, especialista que atua no segmento de reforma de pneus. Segundo ele, quanto maior a resistência, menor será o gasto com combustível.

Alguns procedimentos podem tornar seu veículo mais eficiente, seguro e econômico. Quando um pneu está vazio, há mais atrito com o pavimento. Isso faz com que o motor aplique mais força para deslocar o carro. Logo, utiliza mais combustível. Por outro lado, caso o pneu esteja cheio demais, haverá maior desgaste, aumentando a resistência à rodagem e a energia gasta de forma desnecessária.

Se você realizar a calibragem regularmente e da maneira certa, isso irá ajudar a economizar até 25% de combustível. Normalmente, os fabricantes de automóveis orientam que essas providências sejam tomadas a cada 15 dias, conforme as especificações de cada modelo e pneu. Importante é que todos os quatro devem ser enchidos com a pressão correta para evitar desequilíbrio. Uma dica é verificar a pressão sempre que for ao posto abastecer.

Medidas preventivas
Rodízio: além de ser uma medida preventiva de segurança, o revezamento dos pneus ajuda a reduzir o consumo de combustível. Com a troca da posição dos pneus de um carro, a deformação deles se mantém uniforme em todos eles, evitando que apenas um ou dois sejam muito deformados e, principalmente, diminuindo a resistência à rodagem.

Alinhamento: quando o veículo está desalinhado, ou seja, com uma roda torta em relação a outra, o motor aplicará mais força para que o automóvel se locomova, acarretando em um maior consumo. Alinhar o carro é uma boa forma de economizar gasolina e prevenir acidentes, pois a falta de alinhamento faz com que os pneus sejam deformados de forma acentuada e irregular.

Balanceamento: este é o processo que equilibra o conjunto de pneus através da aplicação de pesos nos aros das rodas para que todas estejam balanceadas. Essa manutenção evita que o carro trepide e oscile durante a condução. Um carro não balanceado é um carro que terá os pneus deformados de forma precoce. Tome esse cuidado sempre que desmontar o pneu para consertá-lo.

Deixe seu comentário