Fotos: reprodução Facebooka

O personagem da Seleção que mais tem chamado a atenção nessa Copa, sem dúvida, é o Canarinho “Pistola”. De 2014 para cá, quatro anos se passaram e os torcedores não deixaram de notar a fisionomia “pistola” do mascote amarelo em 2018. Na internet, não faltam teorias. Alguns conferem ao Canarinho o semblante irritado/bravo, “com um olhar que fuzila”, aos 7×1 no jogo perdido contra a Alemanha no mundial de 2014. E como o termo “pistola” virou sinônimo de raiva incontida na criativa gíria brasileira, a combinação é perfeita.

O chargista Daniel Vêrsa destaca que o Canarinho Amarelo já foi usado de diversas formas. “Mas o visual ‘pistola’ do atual gerou desconfiança no início, mas depois se tornou um meme e as pessoas começaram a vê-lo com mais senso de humor. Assim, o público comprou de vez a ideia do mascote enfurecido”, salienta.

Vêrsa destaca que, visualmente, ele é bem resolvido, tem um estilo cartunesco bem clássico e com fantasia muito bem elaborada. “Sei que os criadores tiveram a intenção de trazer um semblante guerreiro, bravo, corajoso, mas o “pistola” acabou servindo como uma luva por causa da insatisfação política, econômica e cultural que o povo brasileiro vive. A cara de fulo da vida dele reflete bem a cara de todos os brasileiros. Amamos futebol, mas, no fundo, estamos ‘pistolas’ com tudo que acontece”, pontua.

Também a estudante de Administração Andressa Macedo, 24 anos, acha que esse foi um mascote muito bem elaborado. “Ele mostra que nós gostamos, sim, da Copa e do futebol, mas que isso não é o nosso circo e nem está nos distraindo das sacanagens políticas que estão acontecendo”, avalia. E você, o que acha?

Deixe seu comentário