Foto: reprodução Facebook

Montenegro teve um crescimento exponencial nos últimos anos. Atualmente, somos 65 mil habitantes, em um município com empresas significativas para economia local, como a JBS, Tanac e John Deere.

É fato que também as opções de cultura e lazer acompanharam esse progresso, com uma grande oferta. Março e abril estão recheados de atividades culturais. São diversas atrações para todos os públicos. A agenda deste mês foi recentemente divulgada pelo Ibiá, e agora trazemos alguns eventos que animarão abril.

Nos dias 14 e 15, o Kali Multicultural, trará pluralidade a Montenegro, promoção da Lotus Produtora. Com realização na BR 386, na Volta do Anacleto, passando o estabelecimento Paradouro 22, ele envolverá música, arte e cultura.

Com estilos musicais que vão do reggae ao rock, haverá, também, intervenções artísticas, com oficina de pintura, exposição de artesanato, apresentação de malabares com fogo e artes com bambolês. E a gastronomia, com Food Truck, também não faltará.

O início está previsto para às 18h do dia 14, com encerramento no mesmo horário do dia 15. Ingressos podem ser adquiridos com os promoters do evento Lutiero Henrique (51) 999387432 Eduardo Machado (51) 997980589 ou Camila Cardoso (51) 980353677. Os ingressos custam a partir de R$ 20,00.

Teatro
Já no dia 19, é a vez do espetáculo A2 Passos atrair o público para o Teatro Therezinha Petry Cardona. Com classificação etária livre e quase 1h de duração, a apresentação tem organização do Sesc e apoio da Fundarte. Os ingressos estão disponíveis no Sesc, mediante entrega de 1 kg de alimento não perecível. Informações complementares podem ser obtidas no 3649 3403.

Foto: reprodução Facebook

Sinopse do A2 Passos
Os afetos e ressentimentos de uma dupla de atores se acirram durante a derradeira apresentação. Sua longa relação, juntamente com uma falha no sistema de abertura da cortina, desencadeia uma série de situações que os coloca diante da iminência do fim. Através de um jogo metalinguístico, A2 Passos traz à cena temas como o próprio teatro, o sentido inelutável do fim, da perda; das relações humanas em um território cotidiano transtornado e frágil. As histórias são representadas somente através de movimentos expressivos das pernas e pés dos atores, através de um jogo metalinguístico,
A montagem é dirigida pelo mestre russo Gennadi Bogdanov, é uma co-produção Brasil/Itália e integra o projeto “Histórias Pedestres”. Sua primeira etapa foi realizada em agosto de 2016, na Perugia/Itália, com a participação também do cenógrafo da montagem Élcio Rossini. A direção é de Gennadi Nikolaevich Bogdanov, com Claudio Massimo Paternò e participação de Thiago Ruffoni.

Deixe seu comentário