Em 1981, o surgimento do Jornal Ibiá começou a ser primeiro sonhado e depois planejado pelas estudantes de comunicação social da Unisinos Maria Luiza Szulczewski e Mara Rúbia Flôres. Dali em diante, a empresa passou a crescer junto da cidade.

O primeiro evento
Uma festa nativista foi o primeiro evento popular do Jornal Ibiá, ocorrido em 19 de março de 1988. A promoção reuniu mais de 5 mil pessoas e contou com show ao ar livre dos cantores Dante Ramon Ledesma, Paraguai, Vandré e Teixeirinha e os grupos Umuarama e Tarca de Arte Nativa.

 

 

Crescimento
Depois de 5 anos como jornal semanal, em 18 de maio de 1990, o Ibiá passou a circular duas vezes por semana. A edição de estreia teve 44 páginas e contou com caderno especial sobre moda e comportamento. Já em agosto do mesmo ano, o Ibiá passou a usar, de forma pioneira na região, o sistema a laser na pré-impressão das páginas.

Cores
No dia 29 de setembro de 1989, sob a manchete “Chegou a Estação das Cores” o Ibiá trazia um caderno especial abordando a moda primavera-verão e tinha capa e contra capa coloridos pela primeira vez.

Sede
Em maio de 1995, a Rua dos Plátanos, n° 20, tornou-se o endereço do Ibiá. Mais tarde, em 2003, uma construção erguida ao lado do prédio inicial ampliou o espaço à equipe. Até hoje, é nesse endereço que administração, circulação, comercial e redação trabalham para colocar o jornal na rua a cada manhã e atualizar os espaços digitais em tempo real.

Digital
A primeira câmera fotográfica digital chegou ao Ibiá em 1997, oferecendo maior agilidade e qualidade às imagens, além de economia. O Ibiá foi um dos primeiros jornais do RS a implantar o uso dessa tecnologia, que teve início apenas um ano antes.

Classigrátis
A chegada dos classificados foi um sucesso, em 1993. E com uma promoção e tanto. Os leitores podiam ter publicados anúncios de compra, venda e aluguel com até quatro lindas gratuitamente.

Mil edições
A milésima edição do jornal Ibiá circulou em 19 de novembro de 1996, com 100 páginas. Um caderno especial relembrou aos montenegrinos os principais fatos que ocorreram desde a data de fundação do jornal – 13 de março de 1983. Essa edição já foi impressa na gráfica própria, inaugurada sete meses antes.

Talentos empreendedores
Em 6 de novembro de 2000, as diretoras do Ibiá receberam, no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, o primeiro lugar no Prêmio Talentos Empreendedores – categoria Serviços da Região Metropolitana.

Qualidade
Em 5 de julho de 2001, o Jornal Ibiá recebeu, no Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica (Puc), o Troféu Bronze da Qualidade, concedido pelo Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade às empresas que se destacam por suas ferramentas de gestão.

Moda & Chá
O Moda & Chá foi promovido pelo Ibiá e o Rotary Club Montenegro Centenário com o objetivo de valorizar o comércio local e ajudar entidades assistenciais. Mais de 400 pessoas compareceram ao evento de estreia, vendo as novidades da moda enquanto deliciavam-se com doces e salgados servidos.

Bairros
Ao completar 19 anos, em março de 2002, o Ibiá lançou o projeto Viva Bairro. O leitor recebia ações de lazer, informação e educação, próximo de si, já que a cada edição a atividade ocorria num dos bairros da cidade.

Trissemanal
Em abril de 1998, o Ibiá passou a circular com três edições semanais. Ele cresceu também em área de atuação, passando a cobrir as cidades de Brochier, Maratá, Pareci Novo, Salvador do Sul e São José do Sul. Nessa época, também, houve investimentos em uma nova máquina para imprimir as edições, além de equipamentos de informática.

Cinco edições
Depois de muito planejamento, em 2001, os leitores passaram a receber o Ibiá de terças a sábados. Era um objetivo antigo que, após muito esforço da equipe, se concretizava.

8º no Estado
Em 2003, a pesquisa Top of Mind, da Revista Amanhã, citou o Ibiá como o 8º jornal mais lembrado do RS. O fato ficou marcado na história da empresa, citada por 80,77% dos entrevistados ouvidos em Montenegro.

Puc
Numa iniciativa do Ibiá e da Prefeitura de Montenegro, em abril de 2006, o município recebeu a visita do Museu de Ciência e Tecnologia da Potifícia Universidade Católica (PUC) do RS. Foram três especiais dias para a cidade.

Cotidiano
O projeto Crônicas do Cotidiano foi realizado pelo Ibiá com financiamento da Prefeitura através do Fumprocultura. Textos publicados pelo Ibiá semanalmente foram transformados em três livros: Fala Nenê, do pediatra Sérgio Siebel; Casa dos Tinhorões, do professor José Carlos Schwartz; e Alimentação e Saúde, da nutricionista Viviane Vogt.

Na conta de luz
A partir de julho de 2009, os assinantes do Ibiá puderam pagar os custos referentes à assinatura junto da conta de luz. Isso por conta de um convênio com a AES Sul.

Mais ágil
Em dezembro de 2007, o Ibiá realizou a compra de um equipamento importantíssimo para a evolução da empresa. Com a aquisição da impressora rotativa off set, além do Ibiá, passamos a imprimir outros periódicos, tamanha a eficiência do equipamento. A máquina foi instalada em um novo prédio, construído numa área cedida pelo município, através da Lei 4.804, de 8 de janeiro de 2008.

O Literal
Um grupo de alunos, treinados e orientados por uma professora e um jornalista realizando a cobertura da Feira do Livro de Montenegro. Esse é O Literal, projeto realizado pelo Jornal Ibiá em parceria com a escola São João Batista. A redação jornalística em plena praça Rui Barbosa marcou a Feira pela primeira vez em 2012 e voltou a ocorrer em 2016.

Rede Social
Em 2004, o Ibiá estreou na internet. E, em 2010, foi a vez de marcar presença na rede social Facebook. O objetivo era estreitar os laços com os leitores e preparar o terreno para o que viria nos anos seguintes: o Ibiá junto da comunidade, seja no papel ou no digital.

Repórter cidadão
Em 2008, para comemorar seus 25 anos, o Ibiá promoveu uma série de atividades. Numa delas, o projeto repórter cidadão, um concurso desenvolvido com apoio da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, o foco eram os alunos de 6ª a 8ª séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio da região. Os estudantes produziram e inscreveram artigos, reportagens e fotografias e, os melhores, foram premiados.

Olho d’água
O projeto Olho d’água nasceu em 2011 e mobilizou a comunidade pelo Rio Caí. A primeira atividade foi uma caminhada que contou com a participação de 500 pessoas. O projeto que aborda temas ambientas segue sendo realizado ano a ano pelo Ibiá.

Deixe seu comentário