O nosso mundo convulsiona em uma das revoluções mais ferozes e silenciosas pelas quais a humanidade já passou. O fluxo de informações, a velocidade e a organização plana da grande rede transformam, destroem e reconstroem tudo com tal agilidade, profundidade e brutalidade que mal podemos nos dar conta do que está acontecendo.

Mesmo tontos na roda da história, vamos avançando e nos adaptando. Já descobrimos que as organizações precisam ser mais dinâmicas e produtivas. Que a ação deve estar equilibrada e, muitas vezes, suplantar a teoria. Que o tempo é implacável. Mas, talvez, a grande constatação deste novo mundo seja: precisamos confiar.

Por um simples motivo: não há ser vivo nesta terra capaz de absorver toda a informação que nos atinge. Não há cérebro capaz de ser especialista e ter opiniões fundamentadas sobre cada um dos milhares de aspectos da vida. Na impossibilidade de conhecermos tudo, precisamos confiar, seja no serviço meteorológico ou, é claro, em um jornal.

Esta introdução contextualiza o momento no qual o Jornal Ibiá completa 35 anos de história. Não se trata, porém, apenas do aniversário de uma empresa chave para a cidade de Montenegro. É a chance de comemorar uma instituição maior, que sobreviveu a crises, que se reinventa diariamente, que já teve a morte decretada tantas vezes e que está mais viva do que nunca. Se trata da oportunidade de abraçar o que chamamos de Jornal.

Diante deste momento no qual certezas são colocadas em xeque, no qual a desinformação chega ao ponto de ser batizada universalmente (Fakenews), o Jornal Ibiá cumpre com louvor o seu papel de organizar, informar, prestar serviços e ser a voz daquele que emana todo o poder: o povo. E não são poucos os desafios.

O primeiro e o mais importante deles está em manter-se fiel aos princípios jornalísticos, a todo custo. Exatamente por ter este compromisso, o Ibiá atravessou as mais brutais tormentas até agora. Esse exercício diário passa por algo dificílimo: ignorar a opinião dos descontentes, principalmente em uma cidade engajada como a nossa, e seguir em frente.

O segundo desafio: a experimentação no e do Jornal demonstra um Ibiá resolvido a usar toda a credibilidade construída nos últimos 35 anos para atrair os mais jovens e mostrar a eles que com informação não se brinca. A partir dela, construímos juízos de valor; com ela definimos o quão maravilhoso ou não será o nosso futuro.

Em nome de todos os companheiros do Rotary Clube de Montenegro, parabenizo toda a equipedo Jornal Ibiá por esta história de sucesso e pela coragem de praticar o bom combate através do jornalismo. Também agradeço imensamente o apoio que o Rotary recebeu em todos esses anos. Juntos, fizemos ações sensacionais. Juntos, faremos muitas outras.

Aos jornalistas e editores, desejamos muitos furos, poucas barrigas e força para continuar servindo com competência e independência esta cidade. E que venham mais 35 anos!

Bruno Seixas
Presidente do Rotary Club de Montenegro | Gestão 2017/2018

Deixe seu comentário