Não há como negar a importância dos meios de comunicação na evolução das sociedades. Mais ainda quando se tem o exercício da livre expressão propiciada pelos regimes democráticos. Lembro dos tempos em que o rádio povoava a nossa imaginação desde cedo, antes de aprendermos a leitura e a escrita.

A partir da alfabetização, sem dúvida alguma, os jornais tomaram conta da nossa adolescência e maturidade. Nas páginas impressas, acompanhamos o universo da informação e, ao mesmo tempo, nos educamos através dos espaços dedicados à opinião.
Em março de 1983, o Jornal Ibiá começou a sua história. Veio dar prioridade aos fatos locais, somando-se a outros periódicos que valorizam e impulsionam as comunidades onde atuam. Hoje, o Ibiá é o diário de maior circulação no Vale do Caí.

Sou leitor e testemunha desses 35 anos de sucesso. Em todas as minhas etapas de vida, nessas três décadas e meia, acompanhei de perto ou de longe o trabalho que vinha sendo desenvolvido em prol da região onde nasci, cresci e investi profissionalmente e como empresário.

Essa trajetória do Ibiá merece o nosso reconhecimento e aplauso. Certamente, suas criadoras não imaginavam o patamar a que o jornal iria chegar nos dias de hoje. Sem dúvida, houve momentos em que as dificuldades de levar adiante o projeto quase as fizeram desistir. Mas a vocação empreendedora gritou mais alto, e ouviram que era preciso continuar.

Bem sei os percalços que existem no caminho de qualquer empreendimento, ainda mais no Brasil, no Rio Grande do Sul e, particularmente, no âmbito de um município. Porém, a tenacidade que caracteriza o empreendedor e que faz parte das tradições gaúchas dá origem a forças até então desconhecidas. E mais um passo nos faz avançar.

Essa realidade está resumida no significado de Ibiá, que foi a primeira denominação da cidade de Montenegro: aquela palavra, de origem indígena, quer dizer “caminho entre pedras”. Portanto, nada foi fácil pra as duas estudantes de Jornalismo que sonharam em criar um jornal no início da década de 80. O que animava as duas “gurias” eram as perspectivas advindas da instalação do terceiro Polo Petroquímico do País na cidade de Triunfo, impactando toda a região.

Duas máquinas de escrever, uma de fotografia e duas bicicletas deram início à concretização desse sonho. E as etapas se sucederam. O jornal em 2001 passou a ser diário e, em 2004, ingressou na internet. Hoje, como se diz, é multiplataforma, chegando em vários formatos a seus leitores.

Tenho o privilégio de ser um deles. E pela minha experiência de vida e empresarial, posso afiançar que a globalização nunca irá reduzir a importância do noticiário local para as respectivas comunidades. É preciso informar a descoberta de um novo planeta, mas só a mídia local consegue dar essa notícia ao lado da inauguração de uma nova fábrica no município ou de uma loja que vai abrir na esquina bem perto de onde se mora.

Por isto, o Jornal Ibiá – agora com 35 anos de experiência – continuará sua trilha de êxito, mesmo entre pedras, mas seguindo o rumo que já definiu de “ fazer um jornalismo plural, que dá espaço a todos os segmentos da sociedade, sem distinção entre raça, credo ou condição sócio-econômica.”  Vamos, todos, celebrar este feito!
Março, 2018.

Heitor José Müller
Empresário, ex-presidente da Fiergs

Deixe seu comentário