Na hora de preparar o lanche, é preciso tomar cuidados nutricionais. Foto: Reprodução/Internet

Embora seja oferecida merenda escolar, há alunos que levam seu lanche na escola, seja por opção própria, por orientação dos pais ou ainda por terem alguma restrição alimentar. O fato é que estar bem alimentado faz diferença para o aprendizado. A definição de quais alimentos colocar na lancheira, porém, nem sempre é fácil. É preciso levar em consideração as preferências da criança e a qualidade nutricional da merenda.

Frutas são sempre uma boa alternativa

Além da correria do dia a dia, a falta de criatividade também é um fator que atrapalha um pouco, pois cair na rotina pode fazer com que a criança deixe de comer a merenda. Para ajudar nesta missão, a nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Patrícia Citelli Berger, dá algumas dicas. Mesmo quando a criança apresenta algum tipo de restrição alimentar, a especialista enfatiza a importância de priorizar o equilíbrio desta refeição.

Lanches para crianças sem restrições alimentares
O equilíbrio é a base para compor o lanche com diferentes fontes nutricionais. Como opções de proteína, destacam-se o leite ou iogurte, queijo branco, ricota temperada, requeijão light e queijo cottage, que devem estar acondicionados em recipientes térmicos. Carboidratos também não podem ficar de fora, como pães integrais ou multigrãos, bolachas simples, biscoito de polvilho, bolos caseiros simples, tapioca e pão de queijo. Para finalizar, fibras, vitaminas e minerais são encontradas em frutas frescas e sucos industrializados que sejam do tipo integral e não néctar. Podem ser usadas também frutas desidratadas ou frutas secas, como nozes e castanhas.

Lanches para crianças com intolerância à lactose
As fontes de proteínas são as mesmas de uma lancheira sem restrição, porém, devem ser isentas de lactose. Por conta desta necessidade, é importante observar com atenção a composição dos ingredientes nos rótulos de pães, bolachas e biscoitos de polvilho, pois há diferença entre os fabricantes. Já quanto às frutas, não existe nenhuma limitação.

Lanches para crianças celíacas
Esta lancheira deve ser isenta de alimentos que contenham trigo, aveia, cevada, centeio e malte. Sendo assim, pães, bolos e biscoitos, por exemplo, devem ser à base de farinha ou fécula de arroz, batata, milho ou mandioca. As fontes de proteínas, frutas e sucos não diferem dos outros cardápios.

Lanches para crianças diabéticas
Pais devem ter atenção não só ao padrão qualitativo de nutrientes, mas principalmente à quantidade dos alimentos. Além disso, crianças que sofrem de diabetes não podem comer alimentos que contenham açúcar ou sacarose, rapadura, açúcar mascavo e açúcar demerara, nem mel e melado. É importante priorizar produtos integrais e estimular o consumo das cascas e bagaços das frutas com regularidade.
Lanches para crianças em processo de perda de peso
Todos os grupos alimentares precisam estar no lanche, porém, é fundamental adequar as porções alimentares de forma individualizada. É preciso ainda compreender o motivo da perda de peso para desenvolver uma dieta adequada.

Deixe seu comentário