Carne de frango foi o principal produto a contribuir com o superávit de 294 milhões de dólares na balança comercial em 2017. foto: VIBRA/DIVULGAÇÃO

Montenegro figura entre as 10 cidades gaúchas que mais exportam produtos, destaca o titular da Secretaria da Indústria, Comércio e Serviços, Elias Silva da Rosa. Ao Jornal Ibiá, ele conta que sente orgulho da pujança da indústria local, que se destaca também pela diversificação. “Fecharmos 2017 apresentando 294,3 milhões de dólares de superávit na balança comercial e já apresentarmos bons números no primeiro quadrimestre desse ano são fatores extremamente positivos para o município, visto o incremento de arrecadação e geração de novos postos de trabalho”, salienta. Confira a entrevista:

Elias: crescimento, na maioria das vezes, tem relação direta com melhoria no desempenho através da implantação de novas tecnologias

Se olharmos para o conjunto da indústria montenegrina, qual a dimensão que os negócios ao exterior alcançam? Podemos nos considerar uma cidade exportadora?
Aqui estão instaladas algumas das mais importantes exportadoras do Rio Grande do Sul, entre as quais podemos destacar: JBS, John Deere, Tanac, Vibra, Polo Films, Aripe Citrus, Curtume Nimo, Cooperativa Ecocitrus, Marsul Proteínas, Hexion Química, Resiplastic e Comexi. Temos a certeza de que nossa localização privilegiada, perto dos grandes centros urbanos, e um Distrito Industrial com toda a infraestrutura necessária, favorecem a vinda e o desenvolvimento sustentável de companhias de matrizes produtivas diversificadas.

Para a Administração de Montenegro, qual a importância das companhias exportadoras no que se refere à geração de trabalho e tributos?
É motivo de orgulho para nós a valorização da nossa produção no comércio internacional, o que fomenta e desenvolve, cada vez mais, nossa cadeia produtiva. Além disso, fecharmos 2017 apresentando 294,3 milhões de dólares de superávit na balança comercial e já apresentarmos bons números no primeiro quadrimestre desse ano são fatores extremamente positivos para o município, visto o incremento de arrecadação e geração de novos postos de trabalho. Outro ponto que vale destacar é que o crescimento, na sua maioria das vezes, tem relação direta com melhoria no desempenho através da implantação de novas tecnologias, o que aumenta nossos diferenciais competitivos.

Você acredita que o município tem potencial para expandir suas exportações, seja em volume, seja em novos mercados? Caso tenha, quais seriam os setores? E, neste sentido, como a Prefeitura de Montenegro pode atuar como fomentadora e facilitadora?
O Brasil ampliou seu percentual de participação nas exportações mundiais em 2017, de acordo com o relatório “Trade and Statistics Outlook” divulgado pela Organização Mundial do Comércio (OMC). O documento aponta que o comércio mundial apresentou o maior crescimento em volume em seis anos. O Brasil registrou aumento acima da média mundial e foi o sexto mais expressivo entre os trinta maiores exportadores — à frente de países como Estados Unidos, China, Alemanha, México e Índia. Aliado a esse crescimento de demanda mundial, cremos que empresas locais exportadoras contam com grandes oportunidades de crescimento. Por fim, vale destacar que a Administração Municipal tem buscado a aproximação junto às entidades representativas locais e estaduais (ACI, COFIP, Federasul e Fiergs) e a Câmaras de Comércio Internacional visando o fomento e a facilitação de acesso de empresas locais ao cenário internacional.

Deixe seu comentário