Thammy, Evelin e Francieli idealizaram o trabalho na aula de matemática e apresentaram na Femic

Ao associar irrigação de uma horta com aula de matemática, um trabalho desenvolvido por um grupo de alunas da Escola Municipal Walter Belian é exemplo de como estudar sobre meio ambiente de forma interdisciplinar e estimular a preservação de recursos naturais. Ao aprender sobre geometria, as colegas do 9º ano, Evelin Gauer, 15 anos, Francieli da Silva, 14 e Thammy Santana dos Santos, 15, desenvolveram um sistema de irrigação caseiro na forma de cubo.

Sistema é adaptável ao tamanho da horta, que pode ser em uma sacada ou no quintal da casa

Elas salientam que o projeto é simples e pode ser colocado em prática com poucos recursos, além de ser adaptado de acordo com o tamanho da horta. Canos de PVC são usados para dar formato à estrutura que é colocada sobre o cultivo. A tubulação é furada para que, na passagem da água, ocorra a irrigação do plantio.

Para depósito de água pode ser tanto uma garrafa PET, como um grande reservatório, de acordo com a necessidade que varia conforme o tamanho da horta, que pode ser pequena na sacada de um apartamento, ou maior ocupando parte do quintal de uma residência, por exemplo. E o ideal é que a captação seja com água da chuva, pois vai ao encontro do uso racional de recursos hídricos.

Evelin acrescenta que há um dispositivo com relógio que possibilita programar o tempo em que ocorrerá a irrigação. Esse sistema facilita em casos de pessoas que precisam sair de casa durante o processo, pois a economia de tempo é também um dos objetivos do trabalho, que foi apresentado à comunidade durante a Feira Municipal de Iniciação Científica (Femic). No aspecto ambiental, esse registro com time possibilita que a irrigação não vá além do necessário, o que comprometeria o desenvolvimento das hortaliças e acarretaria desperdício de água.

As colegas lembram que o sistema estimula a produção em casa, o que favorece o consumo de hortaliças mais saudáveis, sem uso de agrotóxicos que danificam o meio ambiente e prejudicam a saúde dos consumidores. “As pessoas comem um tomate sem ter noção do quanto de produto químico foi utilizado no plantio”, exemplifica Evelin.

É observado ainda que, para elas, a experiência de realizar o trabalho foi positiva, possibilitando a conhecer mais sobre o meio ambiente de forma atrativa. As três são unânimes em ressaltar a importância da preservação dos recursos naturais, que são fundamentais para que haja vida.

 

Deixe seu comentário