Não deixe a torneira ligada enquanto escova os dentes. IMAGEM: DIVULGAÇÃO/INTERNET

“Sempre que tem alguma torneira pingando, ou qualquer vazamento, eu providencio o conserto”, afirma a comerciante, Vera Krauser, 57 anos, moradora do bairro Santo Antônio. Sua atitude é exemplo de uso racional da água e deveria fazer parte da rotina de qualquer cidadão.

Vera salienta que toma cuidado no uso da água na rotina do dia a dia

Vera afirma que a preocupação em evitar o desperdício de água é constante na sua casa, medida que faz bem ao bolso e ao meio ambiente. Usando esse recurso de maneira adequada, ela evita valores muito alto na fatura do serviço de abastecimento de água e ao mesmo tempo contribui para preservação de recursos hídricos.

A consciência de que há água na imensidão do mar, nos rios, arroios e, inclusive, no subsolo pode gerar a falsa sensação de que esse recurso natural é infinito. A realidade, porém, é outra. Embora a maior parte da superfície do planeta seja coberta por oceanos, lagos e rios, apenas 2% das reservas são de água doce. E a quantidade potável e disponível para matar a sede é ainda menor, não chega a 1% do total, conforme publicado no Manual de boas práticas ambientais, elaborado pelo Senado.

A necessidade de economizar, portanto, é real e urgente. E Vera tem outras dicas para evitar o desperdício. “Na hora de lavar a louça, esfrego a esponja com o sabão e só abro a torneira na hora de enxaguar”, acrescenta. Outra dica da moradora do bairro Santo Antônio é não utilizar a máquina de lavar roupa sem que haja peças suficientes para enchê-la. “Se é pouca roupa, lavo a mão, no balde mesmo”, afirma.

Ao limpar as calçadas, um erro é querer tirar a sujeira só com a força da água da mangueira. “Eu sempre varro primeiro”, afirma Vera. E se usar um balde para lavar, a economia de água é ainda maior. Sua vizinha, a dona de casa Iara Lopes, 55 anos, afirma que também toma cuidado ao usar água. Ela observa que sua casa é abastecida por poço artesiano, mas mesmo assim tem consciência de que não deve desperdiçar. “Não lavo a louça com a torneira aberta”, exemplifica.

Iara afirma que evita desperdício de água em casa


Falta consciência ambiental

Ambas as moradoras do bairro Santo Antônio, Vera Krauser e Iara Lopes, lamentam que a consciência ambiental ainda deixe muito a desejar em boa parte dos cidadãos. Ao falar sobre o assunto, elas vão além do consumo de água. Vera observa que as pessoas jogam lixo no chão, sem se preocupar que assim estão contribuindo para entupimento de bueiros, facilitando o alagamento das ruas em dias de chuva. “E aí vão se queixar que a Prefeitura não limpou o bueiro”, resume Vera.

Em poucos minutos de conversa, Vera e Iara mostram que atitudes simples do dia a dia fazem diferença na preservação ambiental. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), cada pessoa necessita de 110 litros de água por dia para atender suas necessidades de consumo. Os brasileiros consomem mais que a média, cerca de 150 litros, enquanto os americanos gastam ainda mais, chegando a 300 litros por dia.

Dicas de economia

Aproximadamente 75% da água consumida numa casa são gastas no banheiro. Uma dica é evitar tomar banhos prolongados. As pias não devem ficar abertas enquanto se escova os dentes ou faz a barba.

A utilização da água chuva pode ser feita por meio de um sistema de reaproveitamento. Essa água não potável pode ser usada nas instalações sanitárias, lavagens de garagens e automóveis e para irrigação de jardins. É preciso, no entanto, que o reservatório esteja tampado para evitar que se torne um criadouro de mosquitos e outros insetos.

A água da máquina de lavar roupa também pode ser reaproveitada para limpar calçadas ou o quintal. Varrer a calçada antes é importante para evitar o desperdício de água. Por isso, nunca se deve querer tirar a sujeira com a força da água da mangueira.

Não deixar torneiras abertas enquanto ensaboa as mãos ou as louças, assim como preferir lavar o carro usando baldes de água e panos em vez da mangueira. Quando a água está correndo normalmente pela torneira, chegam a ser desperdiçados até 12 mil litros por dia. Se estiver fluindo em forma de jato, pode chegar a 45 mil litros diários.

A substituição das torneiras e as caixas de descarga por outras mais econômicas também ajuda, além da utilização de dispositivos que podem resultar na redução de vazão de água por peça sanitária (torneiras, chuveiros, etc.).

Observar as contas de água também pode ajudar a indicar aumentos de consumo incomuns que podem representar vazamentos ou desperdício de água pelos usuários. Por isso, é preciso ficar atento a esse tipo de problema para solicitar o imediato conserto de torneiras, bebedouros e descargas vazando no local de trabalho.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Deixe seu comentário