Os seios começam a aparecer, o quadril se torna mais evidente, surgem os primeiros pelos axilares e pubianos. Esses são alguns sinais de que a menina entrou na puberdade. No garoto, as características dessa fase se evidenciam pelo crescimento dos órgãos sexuais, a fala engrossa e o gogó, ou pomo-de-adão, começa a se desenvolver.

Um período dentro da adolescência, a puberdade é caracterizada pelas mudanças no corpo, que aos poucos deixa de ser infantil e começa a ganhar características de adultos. A pediatra Ariadene Beatriz Porciúncula Duarte esclarece que a adolescência é um período do desenvolvimento humano entre a criança e o adulto. A pediatra acrescenta que a adolescência é o desenvolvimento biopsicossocial do ser humano nessa fase de transição. E a puberdade é o fator biológico dessa transformação. Para as meninas é marcada pela menarca – primeira menstruação – e, para os meninos, pela primeira ejaculação.

Na menina, as mudanças no corpo ocorrem basicamente pela progesterona, hormônio produzido pela maturação dos ovários. Nos meninos, começa a produção de espermatozóide pela ação da testosterona. “Por isso, ele se torna mais impulsivo, agressivo. A testosterona faz ele se sentir mais macho”, acrescenta.

A idade para iniciar a puberdade varia, mas normalmente é na fase dos 12 anos. Pode ocorrer antes por fatores genético, ambiental ou clínico. Ariadene explica que há glândulas suprarrenais que também desenvolvem esses hormônios e, às vezes, em compasso diferente dos ovários e dos testículos. Essa situação pode ser considerada normal se na família já houve caso de puberdade mais cedo – seria o fator genético – ou se a razão for ambiental, uma vez que em regiões com maior incidência de sol as meninas “amadurecem” mais cedo. Nessas condições, a pediatra menciona o nordeste do Brasil e África.

Se os sinais dessa fase se manifestar muito cedo, como antes dos oito anos, é considerada puberdade precoce. “Aí já é um caso de doença, talvez alguma alteração da glândula suprarrenal ou dos ovários, e então precisa de uma investigação médica”, acrescenta Ariadene.

Ariadene Duarte observa as diferenças entre puberdade e erotização precoce

Alerta à erotização precoce
“O que está ocorrendo mais frequente, e que as pessoas confundem com puberdade precoce, é a erotização precoce”, observa a pediatra Ariadene Beatriz Porciúncula Duarte, salientando que é preciso esclarecer as diferenças. A puberdade é um fator físico, enquanto a erotização é psicológica.
Influenciada pela sociedade, pela família e pela mídia – através de filmes e novelas -, a menina passa a ter comportamentos de adultos, com maquiagem e roupas mais eróticas que não condizem com a sua idade. “Uma menina de 8 ou 9 anos, que está dançando com roupa de adulto, é erotização precoce, não puberdade precoce”, explica Ariadene.

No caso dos meninos, essa situação também ocorre quando eles querem mostrar que são adultos antes do tempo. “Para as meninas, é mais pelo lado de exibicionismo, para mostrar que sabem dançar, cativar os meninos”, afirma. “A puberdade precoce é uma doença que depende de alterações biológicas, enquanto a erotização precoce é psíquica, estimulada pelo ambiente em que a criança vive”, reforça.

Ela acredita que essa situação é prejudicial ao desenvolvimento da criança e do adolescente tendo em vista o risco de gravidez precoce. Ariadene observa que aos 12 anos os órgãos da menina ainda não estão bem desenvolvidos para uma gravidez, que o ideal seria acontecer a partir dos 18 anos. “Há muitos riscos de gravidez indesejada, e todos os problemas psico e social que isso acarreta”, resume.

Saiba Mais

Há divergências em relação à idade da adolescência. Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é dos 12 aos 18 anos, quando se dá a imputabilidade civil e criminal. Pela Organização das Nações Unidas (ONU) essa fase se estende até os 21 anos e, para Organização Mundial da Saúde (OMS), chega aos 25 anos.

Deixe seu comentário